Identidade e Leitura

Sobre o grupo

Anúncios

3 Respostas to "Sobre o grupo"

Amigos, observem que hoje, 18/05, 20h58, ainda não postei minhas reflexões sobre Taddei e texto da SEED. Vou fazer isto amanhã pela manhã, mas estejam, a vontade para postar seus comentários sobre os textos. Minhas sinceras desculpas.

Mariza, entendo. Deve estar muito ocupada. Bjs

Refletindo um pouquinho …

Como vai a construção do conhecimento na escola pública estadual paranaense?

Do texto das novas DCE do Paraná, destinado a todas as disciplinas, alguns trechos da parte específica para línguas estrangeiras que discutimos em detalhe no nosso grupo:

“Para isso, os sujeitos da Educação Básica, crianças, jovens e adultos, em geral oriundos das classes assalariadas, urbanas ou rurais, de diversas regiões e com diferentes origens étnicas e culturais (FRIGOTTO, 2004), devem ter acesso ao conhecimento produzido pela humanidade que, na escola, é veiculado pelos conteúdos das disciplinas escolares. Assumir um currículo disciplinar significa dar ênfase à escola como lugar de socialização do conhecimento, pois essa função da instituição escolar é especialmente importante para os estudantes das classes menos favorecidas, que têm nela uma oportunidade, algumas vezes a única, de acesso ao mundo letrado, do conhecimento científico, da reflexão filosófica e do contato com a arte.”

Escuto da Clarissa: “Escola transmissiva, local de acesso ao conhecimento “nobre” veiculado pelas disciplinas….ai, ai…. Socialização aqui tomada como sinônimo de tornada “acessível”…. socializada porque disponível a quem tiver bons ouvidos…. Socorro!!!!”

Outro trecho que discutimos: “Nestas Diretrizes, destaca-se a importância dos conteúdos disciplinares e do professor como autor de seu plano de ensino, contrapondo-se, assim, aos modelos de organização curricular que vigoraram na década de 1990, os quais esvaziaram os conteúdos disciplinares para dar destaque aos chamados temas transversais.”

Escuto da Clarissa: “Me lembra aquela música axé bahiana, “ado, ado, ado, cada um no seu quadrado”!!!!”

Mais um trechinho, que acompanhou as DCE para a Semana Pedagógica deste ano, em que a SEED justifica a escolha pelo currículo enfocando os conteúdos disciplinares: “Optar pelo conteúdo, na perspectiva do currículo disciplinar, significa destacar que o trabalho com os temas transversais e a pedagogia de projetos não dá conta de garantir o acesso ao conhecimento de forma sistematizada, uma vez que prioriza o processo de “aprender a aprender” em detrimento do ensino, descaracterizando a função social da escola pública.”

Leio todo o texto, e vejo inúmeras incoerências , o que me dá a impressão de que alguns recortes e colagens, mencionando educadores respeitados para respaldar as afirmações, não levam em conta todo do discurso das pessoas, mas partes consideradas apropriadas (vejam Frigotto acima como exemplo). Penso também que temos aí várias vozes, e talvez (tomara!) diferentes olhares.

Vou a um encontro e escuto de uma professora de inglês da rede pública que os textos e o trabalho feito apontam na direção da formação de professores críticos – penso com meus botões – será um caso de lavagem cerebral ou de não se revelar em público o caminho que está sendo trilhado? Afinal, roupa suja se lava em casa.

Visão redentora, tradicional, confronto entre tipos diferentes de conhecimento, escola como acesso ao mundo letrado, “fora educação por projetos!”, planos de trabalho bem definidos e analisados pelos pedagogos .Me lembro de um título– Para onde vai a educação?

Aí vamos ao Renzo (acho lindo este primeiro nome do Taddei!) e temos outras visões, e podemos discutir a visão pós-moderna. E o pêndulo vai e volta, e percebo que estou mais pra cá do que pra lá, mas que já estive lá, e penso como é importante conhecer visões diferentes para poder se posicionar, e como é burra a visão de que os dirigentes iluminados poderão (ou deverão) sempre dar o norte a ser seguido e que todos os professores rezarão sempre pela cartilha política dos grupos dominantes.

Ainda bem que as salas de aula não são como as casas do Vinicius, muito engraçadas sem teto, e sem nada – quando a porta se fecha, muita coisa acontece!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


  • Nenhum
  • Mariza: Refletindo um pouquinho ... Como vai a construção do conhecimento na escola pública estadual paranaense? Do texto das novas DCE do Paraná,
  • Dirceu José de Paula: Mariza, entendo. Deve estar muito ocupada. Bjs
  • Mariza: Amigos, observem que hoje, 18/05, 20h58, ainda não postei minhas reflexões sobre Taddei e texto da SEED. Vou fazer isto amanhã pela manhã, mas est

Categorias

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: